terça-feira, 1 de agosto de 2017

Direitistas se consideram "democráticos"

Direitistas vivem fora da realidade. trancados em sua farta vida de sucesso econômico e privilégios de diversos tipos. Egoístas e gananciosos por natureza, costumam medir a realidade de acordo com suas vidas pessoais e todos aqueles que não correspondem a farta vida que vivem são facilmente ignorados e descartados. Somente aquilo que já faz parte de suas vidas lhe interessa.

Vários direitistas vem declarado que "democracia" era quando os direitistas estavam no poder, governando apenas para as elites. Há inclusive os que recusam a classificar como ditadura os governos militares de 1964 a 1985. Pior: há quem diga que o holocausto alemão nunca aconteceu. Se há no poder alguém trabalhando em prol das elites, está tudo bem.

A desordem causada às classes oprimidas é surrealisticamente tratada como um tipo de ordem. Para garantir a ordem dos fortes é preciso arruinar com a ordem dos fracos. Como se ordem, progresso e democracia fossem prerrogativas dos mais fortes (ricos e poderosos). Como se quisessem privatizar a democracia e os direitos humanos, transformadas em propriedades privadas exclusivas dos mais ricos. Agora só falta privatizar o ar, pois a água já foi.

Num mundo onde direitos passam a ser exclusivos dos ricos, obrigando os mais fracos a quase morre para tentar - sem sucesso - obtê-los, tudo parece democrático para quem vive trancafiado em condomínios de luxo e trabalha em escritórios refrigerados em uma confortável poltrona.

Brasileiros só sabem o que é dor quando sentem na pela a tal dor. Não pensam a longo prazo e só aprendem no momento em que os danos aparecem. Brasileiros não são altruístas e o pouco de caridade que praticam não vai  muito além da sopinha aguada e agasalhos rasgados.

Pessoas naturalmente egoístas mas que se definem como boas, direitas e corretas só porque cumprem um conjunto de regras e rituais, já comemoram o golpe não como tal, mas como uma forma "diferente" de instaurar aquilo que entendem como "democracia" onde privilegiados e excluídos tentam viver de forma pacífica (ou passiva?) aceitando suas injustas condições.

Por isso que muitos direitistas vivem acusando os progressistas de "mimimi" quando alertam que não vivemos em uma democracia. Mesmo que haja algum nível de liberdade - senão eu não estaria aqui escrevendo - é evidente que não vivemos em uma democracia de fato, pois as decisões estão sendo feitas por poderosos empresários, invisíveis para a grande população, que beneficiam apenas a eles e aqueles (não todos) que os apoiam.

Os direitistas que ainda acreditam que estamos em uma democracia, vivem fora da realidade, trancafiados em um mundo fantasioso de sucesso econômico e fartura de bens e direitos. Melhor não dermos ouvidos aos direitistas. Essa gente com certeza tem algum problema mental que os incapacita de compreender a realidade como ela é, e não como parece ser.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.